Momentos Poéticos

Momentos Poéticos

segunda-feira, 19 de abril de 2010



INQUIETUDES NOTURNAS

Noites escuras e silenciosas,
Trazem-me lembranças,
De uma apavorada criança...
Pois o seu manto negro,
Trazia-me tantos medos...
E isso, hoje, ainda me alcança.

Meus ouvidos buscavam,
Sons pra quebrar tão grande vazio,
Fossem dos pingos de chuvas no telhado,
Um ladrar de um cão, mesmo distante,
O coaxar de um sapo, à procura da amante,
E o uivo do vento, em sinfonia nos galhos.

Mas, o que rompia esse silêncio noturno ou madrigal,
Era o apito do tem, anunciando sua chegada a estação,
Que ao ouvir, me trazia emoção e alegria,
Pois era a certeza que o dia logo raiaria,
Deixando pra trás toda essa escuridão.

Cris Menezes
Gravura (google imagem)

2 comentários:

Dalinha Catunda disse...

Olá Cris,
Eu fui uma criança do interior cheia de medos noturnos. Tudo isso alimentado pelas histórias de alma, visagens, assombração contadas nas calçadas do meu sertão.

Obrigada pela sua visita. Realmente eu saí do Ceará mas jamais deixei que o Ceará saisse de mim. Tenho paixão por minha terra e seus costumes.
Beeeeijo, para você e Alque,
Dalinha

Biblioteca Pública Municipal Dra. Maria Inês de Farias disse...

Parabéns pelo excelente material de seu blog. Uma ferramenta de divulgação da boa poesia.

Evaldo Vasconcelos